Estrada

Daniel Mendes e Nadine Gill vencem o GNFY/Brasil 2019 em Conservatória

on

Daniel Mendes vence a prova em Conservatória. (Foto: Fernando Maia/GNFY Brasil)

Nem a chuva e muito menos o frio foram capazes de parar os cerca de 1.100 ciclistas do Brasil e do exterior que disputaram hoje a terceira edição do Gran Fondo New York Brasil, disputada em Conservatória, no sul do estado do Rio de Janeiro, no domingo (4).

Mendes comemorando a vitória. (Foto: Divulgação/GNFY Brasil)

Com o tempo de 4h17m36s, o paulista Daniel Mendes foi o campeão do percurso longo, com 160km, de subidas pesadas, descidas e retas da Serra da Beleza, com uma altimetria acumulada de 2.832m. Com esta marca, ele é o novo recordista da GFNY Brasil, superando Leonardo Aguiar, que venceu, no ano passado, com 4h20m16s. O pódio foi completado por Francisco Chamorro, com 4h26m08, e Santiago Ascenco, com 4h31m19s.

No feminino, a vitória foi da alemã Nadine Gill com 4h36m. A ciclista estabeleceu novo recorde da prova, baixando o tempo de Victória Reimali, vencedora em 2018, em 13 minutos. A segunda colocação da prova foi de Erika Correa Soares com 4h57m01s seguida de Eliana Pinheiro com o tempo de 5h00m07s.

Nadine venceu entre as mulheres. (Foto: Divulgação/GNFY Brasil)

“Vinha me preparando para vencer esta prova faz quatro anos e hoje realizei este sonho. Estou absurdamente feliz e realizado”, contou o ciclista que liderou boa parte do percurso, mas foi ultrapassado pelo argentino Francisco Chamorro por conta de problemas mecânicos em sua bicicleta.

“Hoje era para ser meu! Quebrei quatro vezes e ainda consegui….“, festejou, dando detalhes da vitória. “Estava liderando a prova com folga, mas quebrou meu câmbio, consertei e ainda voltei na frente. Mas na terceira quebra o Chamorro me passou e colocou dois minutos de vantagem. Mas, na última subida, restando 20km, consegui tirar forças para assumir a ponta e chegar na frente”, encerrou Daniel, de 36 anos.

Já a alemã Nadine Gill conseguiu o primeiro lugar em sua estreia no Gran Fondo New York Brasil.

“Foi uma competição muito boa, com percurso lindo, com excelente infraestrutura e adversárias fortes. Como seria uma prova longa, procurei manter minha estratégia de estar à frente do grupo feminino, pensando muito mais em como eu estava na prova do que me preocupar com as outras competidoras”, disse a campeã, garantindo que se não fosse a chuva teria baixado ainda mais o seu tempo na prova.

“Tive que ter muita cautela nas curvas para não escorregar e cair. Se não tivesse chovendo poderia ter chegado antes”, contou a ciclista de 28 anos, integrante da ONG Lulu Five, que trabalha o empoderamento de mulheres através do esporte.

Para Maria Luisa Jucá, organizadora da prova ao lado da ex-jogadora de vôlei Fernanda Venturini, o evento foi um sucesso.  “Todos os ciclistas que participaram desta prova hoje são verdadeiros heróis. O percurso por si só já oferece subidas pesadas para aqueles que são especialistas e hoje o frio e a chuva tornaram tudo ainda mais difícil. Foi lindo de ver o esforço e a vontade de cada um deles. Estamos todos muito felizes com o resultado. “, afirma Maria Luisa Jucá.

Entre os participantes, o técnico Bernardinho disputou do percurso menor de 88 km e se diz um apaixonado pelo esporte.

“O ciclismo vem preenchendo um vazio deixado pelo vôlei. Tem me dado endorfina e adrenalina. Tento me superar a cada prova e me divertir ao máximo. Hoje a pista estava bem difícil e busquei o meu melhor”.

Na categoria Ele +Ela os vencedores foram: Marcos e Rosane Marques ( 90+) e Paula Camos e Pedro Autran (90-)

Recommended for you

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *