Brasil

Audiência na Câmara dos Deputados debate preparação dos atletas para Tóquio 2020

on

Durante o debate, o secretário especial do Esporte do Ministério da Cidadania, Décio Brasil, apresentou as ações do governo no esporte de alto rendimento e os investimentos federais na preparação direta dos atletas. (Foto: Abelardo Mendes Jr/ Ministério da Cidadania)

Faltando pouco mais de 400 dias para os Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Tóquio 2020, a preparação dos atletas brasileiros para o principal evento multiesportivo do mundo foi tema de audiência pública, nesta terça-feira (07.05), na Comissão do Esporte da Câmara dos Deputados, em Brasília. Durante o debate, o secretário especial do Esporte do Ministério da Cidadania, Décio Brasil, apresentou as ações do governo no esporte de alto rendimento e os investimentos federais na preparação direta dos atletas.

“O Exército me possibilitou uma rica experiência na área do esporte. Agora, no governo federal, tenho a oportunidade de transmitir a experiência de gestão esportiva para o benefício do esporte brasileiro. Estou apenas há uma semana na secretaria e podem ter certeza de que o meu objetivo é fazer com que o esporte mantenha o patamar que merece dentro do cenário nacional e internacional”, disse Décio Brasil.

A audiência pública. (Foto: Abelardo Mendes Jr/ Ministério da Cidadania)

Segundo o deputado federal Luiz Lima, a ideia da audiência pública foi entender os trabalhos que estão sendo executados na preparação dos atletas brasileiros para os Jogos Olímpicos e Paralímpicos. “Assim podemos, juntos, construir uma política pública eficiente no esporte para que os recursos do governo federal atendam da melhor maneira. Na audiência de hoje temos a oportunidade de debater os pontos para melhorar a preparação dos atletas brasileiros”, comentou o deputado. “Como parlamentar, professor de educação física e ex-atleta olímpico da natação, tenho interesse de que o Brasil supere as 19 medalhas conquistadas nos Jogos Olímpicos do Rio 2016 e as 72 medalhas nas Paralimpíadas. Temos pouco mais de um ano para melhorar esses números e esperamos que sejam superados”, acrescentou Luiz Lima.

Diretor de Esportes do Comitê Olímpico do Brasil (COB), Jorge Bichara falou sobre a base do planejamento do Comitê. “O COB deseja consolidar as posições alcançadas durante os Jogos do Rio 2016. Nos próximos meses temos o objetivo de buscar o máximo de classificações para os Jogos de Tóquio 2020 e manter sempre uma avalição permanente de como estão os resultados dos atletas”, explicou. “O objetivo do COB é realizar sempre ações que potencializem as chances de resultados do Brasil, melhorar as condições de performance em Tóquio e atuar com excelência na organização da missão do Time Brasil”, completou.

A audiência pública contou ainda com a presença do vice-presidente do COB, Marco La Porta; do secretário da Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem (ABCD), Emanuel Rego; do diretor do Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB), Alberto Martins da Costa; do superintendente de Políticas de Formação de Atletas do Comitê Brasileiro de Clubes (CBC), João Paulo Gonçalves da Silva; de Iziane Marques, representante da Comissão de Atletas do COB; e de Simone Camargo, presidente do Conselho de Atletas do CPB.

Apoio federal
Historicamente, o governo brasileiro tem papel primordial no apoio ao esporte de alto rendimento e na preparação de atletas em cada ciclo olímpico. Segundo o secretário Décio Brasil, cabe à secretaria implementar ações para o desenvolvimento e o fortalecimento do esporte de alto rendimento e o apoio aos atletas nacionais.

Foto: Abelardo Mendes Jr/ Ministério da CidadaniaFoto: Abelardo Mendes Jr/ Ministério da Cidadania

O secretário especial destacou ainda que o programa Bolsa Atleta é prioridade desta gestão. “O atual governo, já nos primeiros 100 dias, instituiu medidas para fortalecer o programa. Foram adicionados ao orçamento do Bolsa Atleta R$ 70 milhões. Com os recursos adicionais, a pasta dobrou o número de atletas apoiados, passando de 3.058 para 6.199, nas categorias Olímpica/Paralímpica, Internacional, Nacional, Atleta de Base e Estudantil”, explicou.

Na preparação para Tóquio 2020, o governo atende 6.199 esportistas com bons resultados em competições nacionais e internacionais de suas modalidades, nas categorias Olímpica/Paralímpica, Internacional, Nacional, Atleta de Base e Estudantil. “São 4.873 atletas de modalidades olímpicas e 1.326 de modalidades paralímpicas. O investimento alcança a marca de R$ 84,5 milhões no ano”, informou.

Já o investimento no programa Bolsa Pódio supera R$ 35,5 milhões no ano. “Outros 277 atletas estão contemplados na categoria Pódio, a mais alta do programa. Nessa faixa, são apoiados atletas entre os 20 primeiros no ranking mundial da modalidade ou prova específica. São 130 atletas de modalidades olímpicas e 147 atletas de modalidades paralímpicas”, frisou.

Décio Brasil anunciou também a criação de um órgão específico para cuidar do esporte paralímpico, não só das modalidades paralímpicas, mas também dos esportes para surdos (Surdolimpíadas), atletas especiais (síndrome de Down) e hemofílicos, entre outros.

Durante a audiência, o secretário anunciou ainda os nomes de dois ex-atletas que irão comandar secretarias dentro do Ministério da Cidadania. O ex-jogador e campeão olímpico de vôlei de praia Emanuel Rego será o secretário de Alto Rendimento, e a ex-ginasta Luísa Parente será a responsável pela ABCD. “A Luísa à frente da ABCD e o Emanuel aceitando o convite para comandar o alto rendimento representam um grande ganho para o esporte nacional”, anunciou.

Recommended for you

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *