Estrada

Elaine Sirydakis é a 1ª árbitra internacional UCI de Ciclismo de Estrada

on

 Elaine Sirydakis. (Foto: Luis Claudio Antunes/Bike76)

Elaine Sirydakis. (Foto: Luis Claudio Antunes/Bike76)

Elaine Sirydakis é a mais nova comissária da Confederação Brasileira de Ciclismo com licença internacional da União Ciclística Internacional (UCI). A catarinense agora faz parte de um seleto grupo aprovado nos criteriosos testes práticos e teóricos da UCI e está pronta para representar o Brasil nos bastidores das principais competições nacionais e internacionais do Ciclismo de Estrada.

publicidade


O curso de comissário UCI acontece aleatoriamente de acordo com a demanda da União Ciclística Internacional. As últimas duas edições do curso aconteceram em 2008 e 2013, sempre dividido em duas etapas. Já a atual edição teve início ainda em 2014, com a primeira etapa (teórica) acontecendo na Suíça, durante uma semana. Durante esse período os alunos assistiram aulas em tempo integral e realizaram uma prova ao final para testar os conhecimentos adquiridos.

Os aprovados seguiram para a segunda etapa (prática), onde foi designada uma competição do calendário UCI para a realização do último teste. Essa avaliação final, do Ciclismo de Estrada, coloca o comissário para exercer as principais funções de um evento internacional: Comissário II, Comissário III, Comissário IV, Juiz de Chegada, Comissário Moto e Comissário Geral. Todas as funções são acompanhadas por um avaliador da União Ciclística Internacional (UCI).

Para a avaliação final da brasileira Elaine Sirydakis foi designado o Tour da Áustria, uma competição de categoria 2 HC da UCI, válida pelo ranking Europa Tour e disputada pelas principais equipes do ciclismo mundial. “Foi uma experiência fantástica e inesquecível. A parte teórica durou uma semana e foi realizada na Suíça, já minha prova prática foi durante o Tour da Áustria, uma prova de classe HC do calendário europeu. Eram apenas seis candidatos, todos homens e eu a única mulher.Também fui a única representante do continente americano. Realmente não foi fácil, mas com o conhecimento adquirido através de muitas noites em claro, com a prática de atuação aqui no Brasil e muita determinação e trabalho em equipe consegui meu objetivo. Levo a certeza de que estamos em constante evolução, sempre aprendendo”, contou Elaine, que junto com a venezuelana Carmen Jaimes, se tornou uma das duas únicas mulheres comissárias internacionais de Estrada da América do Sul.

Elaine ao lado da comissária UCI Dorothy Abbott. (Foto: Luis Claudio Antunes/Bike76)

Elaine ao lado da comissária UCI Dorothy Abbott. (Foto: Luis Claudio Antunes/Bike76)

Segundo a comissária de apenas 34 anos, a paixão pelo ciclismo e o incentivo da irmã (Kathya Sirydakis) foram os principais motivadores para encarar uma das profissões mais difíceis da modalidade. “Minha irmã querida é comissária nacional há mais de 20 anos e foi quem me introduziu nesse meio. Eu ficava maravilhada ouvindo as histórias sobre as corridas, as viagens, as experiências dos grandes comissários que já atuaram no Brasil e pensava ‘um dia quero me tornar comissária UCI, quero contribuir para que nosso ciclismo cresça, evolua da mesma maneira como essas pessoas contribuem em seus países’. Depois de atuar na parte técnica administrativa da CBC, tive o apoio do nosso presidente, José Luiz Vasconcellos, que acreditou em mim e me deu a oportunidades na hora certa. Agora espero retribuir toda a confiança com muito trabalho e dedicação”, lembra.

Recommended for you

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *