Brasil

Brasil é destaque no encerramento do Circuito Pan-Americano de Paraciclismo

em

Circuito Pan-Americano de Paraciclismo. (Foto: CBC/Divulgação)

O domingo, 26 de agosto, último dia de provas no Circuito Pan-Americano de Paraciclismo de Estrada, em São Caetano do Sul, no estado de São Paulo, entrou para a história do Paraciclismo brasileiro. O país, escolhido pela União Ciclística Internacional (UCI), para sediar a primeira edição da competição, entregou um evento tecnicamente perfeito, elogiado por todos os competidores, e ainda dominou a classificação de praticamente todas as categorias, conquistando 35 das 40 medalhas de ouro que estavam em disputa.

O Coordenador do Paraciclismo na CBC, Edilson Rocha “Tubiba”, comenta o sucesso do evento e o domínio dos atletas brasileiros na competição: “Passamos dias de muito trabalho, mas foi uma honra imensa sediar a primeira edição do Circuito Pan-Americano de Paraciclismo de Estrada. A CBC tem tido a satisfação de realizar grandes eventos no país graças a confiança depositada pela UCI, e isso demonstra o trabalho sério que estamos realizando na modalidade. Dentro das provas também fizemos bonito e dominamos a maioria das categorias. O momento do paraciclismo brasileiro é ótimo, agora precisamos seguir evoluindo e pensando nos próximos desafios do segundo semestre”, destacou.

As distâncias dos percursos da prova de resistência chegaram a atingir mais de 75km em algumas provas. Eduardo Ramos Pimenta, piloto da Handbike MH3, categoria mais concorrida da competição, conquistou a segunda medalha de ouro e terminou como um dos principais destaques. Eduardo, que defende o Time Para-Capital, completou o percurso de 61,2km com o tempo de 1h45min02. A medalha de prata ficou com Mauricio Dourado e o bronze com Josimar Sena, ambos do Clube de Ciclismo de São José dos Campos.

Circuito Pan-Americano de Paraciclismo aconteceu em São Caetano do Sul. (Foto: CBC/Divulgação)

“Estou muito feliz, no sábado fui campeão da prova de contrarrelógio fazendo o melhor tempo geral da categoria Handbike, e hoje, na prova de estrada, fui campeão mais uma vez e somei minha segunda medalha de ouro. Quero agradecer em primeiro lugar a Deus e toda minha equipe pelo apoio”, declarou Eduardo.

A baiana Jaciara dos Santos Oliveira, da Handbike WH4, também dominou a categoria mais populosa entre as mulheres e marcou 1h47min29s para cumprir os 39,6km de prova e garantir a segunda medalha de ouro. A goiana Rosangela Amado da Silva e a brasiliense Samara de Oliveira Felipe, ambas do Time Para-Capital, completaram na segunda e terceira colocações, respectivamente.

Na classe C, um dos principais destaques foi André Grizante, do SERC/São Caetano do Sul, primeiro colocado na MC4. Grizante levou a medalha de ouro após superar o argentino Juan Ignacio Vicente no sprint final, registrando 2h04min07 para completar os 79,2km de prova. Luiz Antonio Marconi completou o pódio em terceiro.

Johnatan Mineiro pedalou 79,2km em 2h06min35 e conquistou a primeira colocação na categoria MC5. André Luiz Novaes, do Ativo Bike Team, terminou com a medalha de prata, e Roberto Carlos Silva foi bronze.

Circuito Pan-Americano de Paraciclismo
Crédito: CBC/Divulgação

Legado
Além de proporcionar intercâmbio entre os competidores e apresentar um ambiente altamente competitivo e profissional, o Circuito Pan-Americano de Paraciclismo também deixa um legado técnico muito importante para o crescimento da modalidade.

Durante a competição, foi realizado um Workshop ministrado pelos Comissários UCI, Elaine Siridakys e Iverson Ladewig, voltado para comissários já formados no Ciclismo Olímpico, que receberam aulas teóricas e práticas voltadas especificamente para o paraciclismo, visando à futura formação e atualização de novos comissários para a modalidade.

Os cursos para formação de comissários de paraciclismo estão previstos para o próximo ano e serão divulgados com antecedência através do site da confederação.

Recomendado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *