Copa Internacional MTB

Henrique Avancini e Karen Olímpico vencem o Desafio da Ladeira em Congonhas

em

Atletas subiram no pódio em frente a Basílica (Foto: Thiago Lemos / CIMTB Levorin)

O ponto de chegada era em frente à Basílica Bom Jesus do Matosinhos, e a largada na Estação Ferroviária. Um percurso de menos de um quilômetro e inesquecível para quem pedala nele. O Desafio da Ladeira aconteceu na noite desta sexta-feira (18). O circuito em uma rua de pedra sabão, leva o atleta a trabalhar força e a técnica.

No masculino, Henrique Avancini (Cannondale Factory Racing) pedalou o suficiente para subir no lugar mais alto do pódio, seguido de Rubens Donizete Valeriano (Sense Factory Racing) e de Carlos Alberto (TSW Racing Team). No feminino, a vez foi de Karen Olímpio (Isapa Oggi). Letícia Cândido (TSW Racing Team) e Kelly Olímpio conquistaram o segundo e terceiro lugar, respectivamente.

O campeão, Henrique Avancini, explicou que o percurso curto, esconde a dura realidade do Desafio da Ladeira. “Essa prova é traiçoeira. Parece que é curta, parece que é explosiva, ao mesmo tempo lembra uma prova de Eliminator, mas é muito exigente. A subida tem uma rolagem muito ruim, as pedras são muito grandes. É impressionante, pois se você perder um pouquinho o ritmo, cai a velocidade absurdamente. Então, é difícil você achar o torque certo durante a subida toda. É um excelente teste para os atletas e um grande entretenimento para o público. Sexta-feira à noite, a galera chegando na cidade, aquele clima de prova bacana e ver os atletas da Elite se digladiando é bem legal e eu fico feliz de fazer um bom show”, comentou.
Veterano no Desafio, o vice-campeão Rubens Donizete, disse que o resultado foi melhor do que o esperado. “Meu plano era chegar entre os cinco. Então, teve um momento que eu não sabia se eram os atletas que estavam poupando ou se era eu que estava forte. Mas eu continuei no meu passo, os caras começaram a atacar e eu ainda tinha força. Quando faz a curva lá embaixo, que a gente consegue ver a chegada é preciso ter tranquilidade, porque parece que está perto, mas a impressão é que a gente está pedalando, pedalando e não chega. Estou feliz demais com o segundo lugar”, comentou.

Carlos Alberto afirmou que não está em uma boa fase, mas avaliou como positivo o terceiro lugar. “Eu venho de uma fase não muito boa. Tive um começo de ano bom, mas do segundo semestre pra cá eu comecei a sentir muito. Eu vim com a intenção de fazer uma prova forte, sabendo das minhas possibilidades, que teriam atletas de alto nível e que me inspiram. Essa prova é muito desgastante, exige muita força e concentração. Eu procurei fazer uma prova de cabeça, que eu chegasse até o fim bem”, concluiu.

Prova explosiva lava atleta ao limite (Foto: Thiago Lemos/CIMTB Levorin)

No Feminino, a campeã Karen Olímpico disse que a força começou no início e só terminou depois de cruzar a linha de chegada. “Eu dei o máximo do começo ao fim. Essa prova é bem desgastante, é uma explosão que começa na largada e só termina na chegada, mas eu fiz força e alcancei o objetivo. Na prova de Maratona eu vou com tudo de novo para buscar um ótimo resultado”, disse.

A vice Letícia Cândido comentou que a subida leva o atleta ao limite. “É uma subida de menos de 1 km e você chega no limite. Para mim foi bem legal. Meu foco nessa etapa é me defender e defender a camisa de líder. Conquistei o segundo lugar, sou vice-campeã e estou bem feliz. Agora é concentrar, para fazer o melhor na Maratona”, afirmou.

O terceiro lugar ficou para a irmã da campeã. Kelly Olímpio estreou no Desafio da Ladeira e se surpreendeu. “Meu desempenho foi além do que eu esperava, porque é a primeira vez que eu faço o Desafio da Ladeira. Como as meninas são muito fortes, eu não esperava ficar em terceiro. Para mim, a Maratona tem mais meu perfil e estou confiante”, finalizou.

 

Recomendado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *