Brasil Cycle Fair

Brasil Cycle Fair: saiba quais as tendências do mercado de bicicletas para 2017

em

Crescimento de atletas influenciadores, bikes mais confortáveis e serviços aos ciclistas são alguns dos destaques para este ano. (Foto: Freeimages)

Atualmente, as bicicletas ocupam um espaço muito maior no cotidiano da população das grandes cidades, seja como principal meio de transporte ou como um dos mais queridos instrumentos de lazer. O fato é que esse simples veículo pode transformar o meio ambiente, as metrópoles e a vida de muitas pessoas. Segundo dados da pesquisa “Perfil do Ciclista Brasileiro”, realizada pelas organizações não-governamentais Observatório das Metrópoles e Transporte Ativo, 88,1% dos 5012 entrevistados de dez grandes metrópoles, como Rio de Janeiro, São Paulo, Belo Horizonte e Brasília, utilizam a bicicleta para ir ao trabalho e 76% usam para o lazer.

Com esses números, podemos observar um crescimento do interesse na bicicleta e, assim, o aumento na busca por modelos que oferecem eficiência, rendimento e custo-benefício. Segundo pesquisas realizadas recentemente, a expectativa para 2017 é positiva para este segmento, já que houve elevação de 18% na produção, totalizando 797.000 unidades produzidas para este ano.




Enquanto os investimentos em mobilidade urbana avançam lentamente e agregam novas pessoas a este estilo de vida mais sustentável, as cidades ainda necessitam de mais estrutura, ciclofaixas e segurança para os ciclistas. Se comparado a alguns países europeus, o número de brasileiros adeptos a este meio de transporte ainda é bem pequeno. Na Holanda, por exemplo, a bicicleta é utilizada como principal forma de deslocamento por 40% de toda população do país, muito distante da nossa realidade.

Mesmo com todas as dificuldades estruturais e déficit de investimento, o segmento de bicicletas não para de crescer no Brasil, ressaltando a força do mercado e o potencial de expansão. Entretanto, ao longo dos anos e com o desenvolvimento da internet, o setor também precisou se atualizar.

Mudanças do setor na era digital
Os antigos admiradores de bicicleta, novos adeptos e esportistas aguardam ansiosamente pelos lançamentos de 2017. Mas, na hora de adquirir o novo utensílio, é importante realizar pesquisas e buscar por atendimento especializado. E, atualmente, não faltam fontes de informação sobre o segmento. Exemplo disto são os influencers, que acumulam milhares de seguidores em redes sociais e auxiliam em distintas modalidades.

“Hoje em dia, existe muita informação, troca de experiências e de ideias na internet. Eu sempre busco me aproximar dos meus seguidores, compartilhando dicas, treinos e novidades. Como nós vivemos este estilo de vida e conhecemos muitos produtos, os internautas sentem confiança e pedem nossa opinião na hora da escolha de uma peça ou um modelo de bicicleta”, comenta Ramon Costa, publicitário e praticante de triátlon, seguido por mais de 80 mil pessoas no Instagram. O atleta destaca os freios a disco como forte tendência para este ano. A tecnologia já é considerada item de fábrica em novos modelos, como Gravel, Cyclocross e Endurance.

Quem também está animado com a onda de influencers é o atleta de BMX freestyle, Douglas Oliveira, mais conhecido como Doguette. “Muitas empresas estão apostando em atletas influenciadores para incentivar o uso da bicicleta no dia a dia das pessoas, com conteúdo e informação. Isso mostra aos novos praticantes que, além de pedalarem, eles podem obter um novo estilo de vida em que irão quebrar suas próprias barreiras e limites”, diz o profissional.

A ideia de usar influenciadores, segundo os profissionais, é positiva porque não apenas vende um produto, mas aproxima os consumidores das marcas e valoriza os atletas, criando uma identidade com a prática do esporte e seus benefícios. “As marcas brasileiras começaram a reconhecer mais os atletas e influenciadores. No BMX, recebo muitas mensagens questionando qual bike eu uso, quais produtos, pois eles desejam ter algo de igual qualidade e durabilidade”, comemora Doguette.

Novas tecnologias e produtos
A Scott, uma das maiores marcas de bicicleta do mundo, aponta duas fortes tendências para este ano. “Temos dois modelos que, provavelmente, serão muito procurados ao longo deste ano: as bikes Full-Suspension e as com relação de uma coroa (X1). Isso porquê nossas opções de suspensão integrada mudaram e estão renovadas, com design mais leve e rígido, que já foram aprovadas em diversas corridas e são usadas pelo Campeão Olímpico e Campeão Mundial, Nino Schurter”, explica Rodrigo Pin, analista de marketing da Scott.
Rodrigo também pontua que a decisão de mudar o design só foi realizada após pesquisas com ciclistas, pilotos de cross-country e maratona e até mesmo entusiastas. “Hoje é nítido o crescimento das bikes de suspensão integrada nas pistas de competições por todo o Brasil, tanto por proporcionar maior conforto do que uma hardtail (que só possui suspensão na frente), assim como pelo desempenho, principalmente, em relação as bikes com relação X1 (dedicadas para o cenário de competição)”, comenta. Essas novidades já estão disponíveis no mercado e possuem muito potencial de venda.

Para quem deseja investir no segmento de bicicleta, os nichos são os mais variados. Novas soluções aparecem a cada dia para atender as necessidades dos atletas e amadores, como capacetes mais leves, relógios com altimetria e medição de passos, e utensílios que auxiliam na pratica das mais diversas modalidades. Com esta diversidade de produtos e ofertas no mercado, as novas tecnologias ficam mais acessíveis aos interessados. Outra novidade que só tende a crescer são os seguros para bicicleta, com coberturas para os modelos a partir de R$3.000,00, que variam de 5% a 10% do valor da bicicleta. Algumas empresas também oferecem adesivos para reconhecimento da bike com alta fixação e que evitam furtos.

O Brasil possui um mercado de bicicletas que só tende a crescer, apesar de algumas dificuldades tributárias. O público de bicicletas é muito grande e diversificado. “Antigamente as pessoas não compartilhavam seu amor pelo esporte, não mostravam que pedalavam ou viviam disso, mas hoje a bicicleta se tornou algo de respeito, bacana. Espero que os amantes do esporte se unam cada vez mais para trocar ideias e discutir como podemos desenvolver o mercado”, conclui Douglas.

Todas estas tendências de esporte e mercado de bicicletas podem ser encontradas na Brasil Cycle Fair, que acontece entre os dias 22 e 24 de setembro, no São Paulo Expo. Credencie-se para o evento e tenha acesso a conteúdos exclusivos e de relevância para o setor.
www.brasilcyclefair.com.br

Recomendado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *