Mountain Bike

Sabrina Gobbo sobe no pódio do XTerra Chile, em Santiago

em

Pódio do XTerra Chile (Divulgação / XTerra)

A campineira Sabrina Gobbo (Trek/Shimano/Pearl Izumi) e a mineira Laura Mira (Oggi/Isapa) disputaram no fim de semana a segunda de dez etapas do Tour XTerra Pan-Americano, no bairro de San Bernardo, em Santiago (CHI). Enquanto Sabrina garantiu um lugar no pódio do XTerra Chile, com a quinta posição na prova, Laura foi a sexta colocada. Entre as mulheres, o título ficou com a chilena Barbara Riveros, enquanto no masculino a vitória foi de Felipe Barraza, também do Chile.

publicidade


A etapa chilena do Tour XTerra Pan-Am contou com 1,6km de natação, 30km de MTB e 10km de corrida, na região metropolitana de Santiago. Para Sabrina, a quinta colocação foi definida no mountain bike. “Provavelmente foi o circuito de XTerra mais duro que já fiz. Subia muito, talvez menos do que em outras oportunidades se analisar o total acumulado, mas havia subidas bem duras no percurso, em que você sobe muito em poucos metros”, avaliou Sabrina.

“Saí em quarto lugar da natação, à frente da norte-americana Kara LaPoint, mas ela me ultrapassou na bike e pedalamos juntas por um bom período. Ficamos próximas da terceira colocada em um determinado momento, mas não conseguimos chegar nela. Após isso, a Kara me passou, porém me mantive a uma certa distância dela e acabei a prova em quinto”, finalizou a triatleta de Campinas (SP), que compete com sua bike Trek equipada com o grupo Shimano XTR Di2 de transmissão eletrônica de marchas.

Laura Mira também destacou as dificuldades encontradas na etapa chilena do circuito. “A prova aqui no Chile foi realizada com muito frio e extremamente difícil. Um circuito duro tanto na corrida quanto na bike, que nos fez escalar 1.000 metros em apenas 15 km de pedal. Subidas íngremes e intermináveis exigiram muito do físico e do psicológico para completar os mais de 40 km”, avaliou a atleta, que utilizou sua Oggi Agile Carbon com os componentes Shimano do grupo XT.

“Sofri demais naquela água fria, mesmo usando o traje de neoprene, e fiz força do início ao fim achando que estava tendo um dia ruim e que sairia atrás na água. Apesar disso, saí em terceiro da natação, junto com a fortíssima francesa Morgane Riou. Segurei as pontas até a metade da primeira grande escalada na bike. Mas, o sofrimento aumentava a cada quilômetro e não conseguia manter a força. Acabei saindo pra correr já na sexta colocação. Mesmo sabendo que a prova já estava decidida, consegui fazer uma boa corrida finalizando este que foi considerado por quase todos os atletas um dos circuitos mais duros do XTerra”, complementou a atleta de Lavras (MG).

Recomendado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *