Brasil

Flávia Oliveira faz história no ciclismo de Estrada dos Jogos Olímpicos

em

Flávia Oliveira conquista o melhor resultado do ciclismo brasileiro em Jogos Olímpicos. (Foto: Luis Claudio Antunes/Bike76)

Flávia Oliveira conquista o melhor resultado do ciclismo brasileiro em Jogos Olímpicos. (Foto: Luis Claudio Antunes/Bike76)

O Brasil esteve muito próximo de um pódio no ciclismo feminino de Estrada dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, disputados neste domingo, dia 7 de julho, com largada e chegada em frente ao Forte de Copacabana.

Flávia Oliveira fez uma grande participação nesta edição e ficou com o 7º lugar, terminando apenas 20 segundos atrás da campeã olímpica, a holandesa Anna van der Bregge, que cruzou a meta de chegada com 3h51min27. Com o grande resultado, Flávia deixa seu nome eternizado na competição como o melhor resultado do Brasil em Olimpíadas.

Nossa homenagem

“É simplesmente indescritível competir em casa e a cada quilômetro ouvir pessoas gritando meu nome e falando palavras de incentivo. Estou muito feliz. A prova foi duríssima e eu sei que terminei muito perto de lutar por uma medalha, foram menos de 30 segundos de diferença, mas também sei da importância desse resultado para o ciclismo feminino do Brasil. Agradeço a oportunidade de poder representar a nossa seleção e principalmente a toda a torcida que marcou presença de uma forma ou de outra incentivando o nosso ciclismo”, comentou Flávia.

Flávia emocionada após a chegada

A prova no Rio de Janeiro, foi dura. O percurso foi o mesmo do masculino, mas um pouco menor. Foram 136,9 km, com duas passagens pelo circuito em Grumari, com um pelotão composto por 68 ciclistas.

Das 68 ciclistas que iniciaram a prova, 15 não terminaram, uma foi desqualificada e duas terminaram fora de tempo, sendo uma delas, Clemilda Fernandes, que junto com Flávia Oliveira, foram as representantes do Brasil nesta edição dos Jogos Olímpicos.

finish

Chegada no Rio de Janeiro. (Foto: divulgação)

Como já mencionamos acima, a medalha de ouro ficou com a holandesa Anna van der Bregge. A prata foi para Emma Johansson, da Suíça e o bronze ficou com a italiana Elisa Longo Borghini.

Recomendado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *