Estrada

Quatro ciclistas brasileiros são flagrados em exames anti-doping

em

ABCD está fazendo exames anti-doping no Brasil. (Foto: Bike76)

ABCD está fazendo exames anti-doping no Brasil. (Foto: Bike76)

Entre final de outubro e novembro, quatro casos de doping envolvendo ciclistas brasileiros foram revelados por órgãos que gerenciam a modalidade.

publicidade


Dois casos aconteceram no Tour do Rio. O primeiro que foi revelado é do ciclista da equipe Avaí/Florianópolis, Fernando Finkler, de 19 anos. O exame realizado no ciclista durante a 2ª etapa do Tour do Rio 2015, acusou positivo para Clostebol, tipo de esteroide anabolizante proibido pelas regras da UCI.  

Finkler vinha tendo grandes resultados nos últimos tempos, inclusive detém o título de campeão brasileiro de contrarrelógio individual  e o de vice na Estrada, além de ter sido o campeão geral na categoria Juventude do Tour do Rio, já foi julgado e pegou uma punição de um ano.

A pena mais leve foi porque o ciclista teria usado uma pomada cicatrizante que não afetaria o seu desempenho esportivo, propriamente dito, assim entendeu a UCI. Ele poderá volta à competir em agosto de 2016.

O outro caso do Tour do Rio foi do ciclista paranaense Cleberson Weber, da equipe DataRo. Ele testou positivo para EPO [eritropoietina], no dia 28 de setembro, quando disputou a penúltima etapa da competição entre Valença e Teresópolis. De acordo com o comunicado da UCI, o ciclista que já foi pego no doping em 2009 e cumpriu suspensão de dois anos, está suspenso provisoriamente e poderá recorrer do resultado.

Os dois casos mais recentes aconteceu com ciclistas que formaram a delegação da Força Aérea Brasileira que disputou os Jogos Mundias Militares na Coréia.

Alex David Mayer Arseno, da ETC Taubaté e Uênia Fernandes de Souza, da italiana Ale Cipollini, testaram positivo para o uso de EPO [eritropoietina] em exame surpresa e estão temporariamente afastados. Os dois ainda podem recorrer.

Alex Arseno já havia sido pego no doping em 2009, na Volta de Santa Catarina. A infração lhe custou dois anos de suspensão e ele só voltou a competir em 2011. Em seu perfil no Facebook, o ciclista publicou um texto, falando do seu amor pelo ciclismo e a tristeza de chegar ao fim da sua carreira profissional.

Exames anti-doping na Copa América
A Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem, órgão responsável por controles no Brasil, esteve presente na última etapa da Copa América de Ciclismo, realizada em Botucatu.

Dez ciclistas do pelotão masculino foram submetidos ao controle pela ABCD. Os cinco primeiros da Elite e mais cinco que foram sorteados.

Recomendado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *